segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Bumbum de deusa - Anna Marina

Anna Marina - anna.marina@uai.com.br
Estado de Minas: 18/08/2014




Recebi o catálogo da grife de lingerie Fruit de la Passion e fiquei literalmente impressionada com as fotos e os trajes. Tirando um sutiã ou outro, os modelos batem de longe os exageros da marca americana Victoria Secrets, que devem ser pra lá de incômodos. Ou então são usados apenas para fazer graça, sem roupa por cima. Mas uma coisa fica evidente: o bumbum das modelos. Toda mulher brasileira sonha com aquele bumbum perfeito: durinho, delineado e volumoso. Porém, fatores genéticos, idade, sedentarismo e hábitos alimentares são alguns dos empecilhos femininos na hora de alcançar o “bumbum empinadinho”, tão cobiçado e vastamente exposto nos meios de comunicação.

Mas como não são todas que nasceram com esse biotipo e, ainda assim, desejam fazer jus à sua nacionalidade, o aumento de glúteo tem se tornado uma das maiores “febres” entre as cirurgias plásticas. Apesar de ainda serem menos populares que os implantes nos seios, as próteses de silicone de glúteo vêm conquistando cada vez mais o seu espaço entre as brasileiras. Trata-se de uma cirurgia relativamente simples, em que uma pequena incisão é feita no sulco interglúteo, evitando cicatrizes aparentes. A prótese utilizada é de gel de silicone, semelhante às usadas em implantes mamários, porém mais espessa e que variando de formato, geralmente entre oval e arredondado.

A gluteoplastia resolve de uma só vez o problema de tamanho e de flacidez, uma vez que a musculação e atividades físicas costumam ser ineficientes, embora boas aliadas, no delineamento do bumbum almejado. É indicada para quem tem glúteos pequenos, de pouca projeção, flácidos ou disformes, bem como para quem emagreceu muito e perdeu a elasticidade da pele. O procedimento tem duração de cerca de 1 hora e meia, com anestesia peridural. A incisão é feita por meio do sulco inferior do bumbum, onde a cicatriz ficará bem escondida. Em seguida, insere-se a prótese, que ficará posicionada entre os músculos.

O volume das próteses glúteas costuma ser, aproximadamente, de 360 mililitros. Porém, ele varia conforme o peso, a altura, a idade e o tipo de pele da paciente. Além de decidir o tamanho das próteses, que devem variar conforme a estrutura física e o tipo de pele, a paciente também pode optar entre implantes redondos ou ovais. Os redondos, embora mais compactos, dão maior projeção aos glúteos. Já os ovais, discretamente achatados, deixam a aparência do quadril mais larga. Considerando os limites da anatomia humana e da medicina, a paciente tem liberdade de escolha entre essas opções. Outro bom critério para eleger o formato da prótese é a proporcionalidade. Se a paciente for baixa ou já tiver quadril largo, o implante redondo é mais recomendado. Por outro lado, se ela for alta ou tiver o quadril mais estreito, o oval deixará uma aparência mais natural.

Mais que dar volume e remodelar o bumbum, a gluteoplastia pode corrigir problemas de flacidez de pele na região e assimetria das nádegas. O procedimento não é indicado para gestantes, mães em período de amamentação e pessoas com problemas na região lombar. Durante o pós-operatório, com um pouco de cautela, é possível se sentar. Em relação à posição para dormir, esta deve ser de bruços, evitando, assim, o deslocamento das próteses. A fim de minimizar o desconforto causado nos primeiros dias, recomenda-se o uso da cinta modeladora. Também é preciso redobrar os cuidados com a higiene diária, uma vez que é uma região mais suscetível a infecções. O uso de antibióticos também poderá ser recomendado pelo cirurgião plástico durante 10 dias após a cirurgia, de forma a minimizar todos os riscos. Já a retomada gradual de exercícios físicos pode se dar depois de dois meses da cirurgia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário